Friday, May 05, 2006

 

A PRIMEIRA BOYSBAND DE GARAGEM???...

Já havia boysbands. Já havia bandas de garagem. As primeiras, com uns jeitosaços bem alinhados, uns rostos de fachada, com vozinhas melodiosas (isto é quando cantam mesmo...) e a dançar "comme il faut", treinados por coreógrafos profissionais, maquilhados por gente famosa, vestidos pela alta costura. As segundas, habitualmente de carácter mais ou menos rebelde, de letras alternativas e postura de desafio, compondo os seus temas e fabricando o seu próprio som. E então, algures no Portugal em crise de 2005, eis que surge uma terceira via: o cruzamento das duas vertentes, com um resultado bastante aceitável. Os Azeitonas. A primeira boysband de garagem portuguesa! E a melhor. Aliás, é mesmo a única...AJ, Marlon, Panchito e Preto, com as Azeitonettes Nena e Carol no “shoop-shooa” dão cartas. Visualmente são uma espécie de revivalistas dos grupos "brilhantina" dos anos 50/60. A sonoridade é muito rock n´roll, na onda garageira, apesar de haver alguns temas na área da "balada alternativo-explicativa." Em termos de qualidade de som, é inegável que as mãozinhas de Rui Veloso (co-produtor do cd) e do guru Luis Jardim (responsável pela Produção) se fazem notar. No que se refere às letras, como os próprios assumem (consolidando a sua vertente boysbandesca), são eminentemente melodramáticas, estando os temas da deserção amorosa, do sentimento de abandono e do arrependimento presentes em 99% das canções - embora de formas muito, mas muuuuuuuuito diferentes do normal.
Vejamos o caso de "Zão", uma das canções mais dançáveis, numa onda twist (mas alegwe!!!), do álbum "Um tanto ou quanto atarantado". Este tema é um hino à necessidade de entusiasmo constante na vida, corporizada na figura de Zão (diminutivo de quê?!...) como é visível na repetição constante de "Quero ter-te...Zão!"
Vejamos o caso de "Nome da Canção", que é basicamente o quê?... A receita, explicitamente cantada, para fabricar uma canção romântica como deve ser.
Vejamos ainda "Bifas de Albufeira", uma quase-canção-de-marinheiros, uma ode um tanto ou quanto explícita demais, aos atributos "carnungueiros" das turistas inglesas que enxameiam o Algarve.
Vejamos e ouçamos. Todo o álbum. Sempre ouvi dizer que azeitonas fazem mal à boca, mas estes são é bons para o ouvido. E o único efeito secundário é a boa-disposição.
Convém é ter o neurónio da irreverência em velocidade máxima.

Comments:
Boas! Obrigado pelas palavras simpáticas! Queriamos convidar-te para o nosso concerto no
Porto, no Sá da bandeira. Também vai ter o grade José Cid e Rui Veloso!

Abraços

Azeitona AJ
 
Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?